sábado, 26 de dezembro de 2009

Manias que ficarão para trás

Manias que ficarão para trás Mania de cutucar as pelinhas da unha. Mania de comer por ansiedade e não por fome. Mania de sempre me culpar pelas brigas. Mania de arrancar os cabelinhos que ficam fora do lugar. Mania de aceitar mau humor alheio sem reclamar. Mania de estragar folhas sulfites com palavras sem sentido. Mania de desenhar em aulas importantes. Manias, manias, manias. Deixo para trás todas essas que só subtraem e entro em 2010 em branco. Pronta para novas manias. Afinal, quem não tem a sua esquisitisse?

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Quem acredita, sempre alcança!


Aí está a Introdução.
Ela é direcionada ao público universitário e tem como bases temais atuais e diferentes. Os textos são flexíveis porém, não menos profissionais. O formato é feito para a correria do dia a dia, a revista pode ser colocada na mochila, no meio do caderno, no fichário e ainda fica lindinha, sem amassar.
Essa edição é um misto de detalhes. Temos as lentes de Luciana Franzolin, os livros do Sr Guerra, a voz suave e linda de Luciana Pires, as estradas dos Chapas, a trilha sonora de Antônio Pinto e a onda dos blogs no jornalismo. Além de colunas especiais, feitas carinhosamente por nossos professores Macalé e Léa.

Valeu esperar. Valeu a correria. Valeu o estress com a gráfica. Valeu! E só está começando, não é mesmo escudeiros?

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Mãe Diná


Não é dificil saber que 2010 será o ano do Hexa. Na final ganharemos de 3x0 em cima da Argentina de Maradona. Gols de Kaká, Luís Fabiano e Ronaldo. Sim! Ronaldo Fenômeno irá para Copa. Suas gordurinhas extras irão sumir com um regime árduo e Dunga vai convocá-lo sem nenhuma dúvida.

O ano que virá também trará mudanças políticas. Marina Silva será eleita e ficará famosa por ser a primeira mulher negra no comando do Brasil. O meio ambiente será assunto constante e nós poderemos começar a ter esperanças em relação ao futuro.

O jornalismo também mudará. Com a volta da obrigatoriedade do diploma, as piadinhas ficarão ultrapassadas e comentários a mais serão dispensados. O profissional será melhor remunerado e se interessará mais pelo interesse público.

No mundo das celebridades a coisa será disputada. Novas bandas coloridas e inovadoras surgirão com tudo nas capas da Capricho. Os músicos antigos terão que rebolar para não perder os fãs.


Por enquanto é tudo que posso adiantar.




Pauta: Previsões para 2010

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Amigo-furado

Na foto: Gá, Lú, Eu e Pepe. Morro de saudades, meus queridos.


Desde que me conheço por gente nós fazemos amigo secreto aqui em casa no Natal. Quando eu era criança, meu Deus, era o auge da minha noite. Ensaiava brincadeirinhas e sempre ficava afoita para revelar meu amigo. E no meio de tudo isso sempre torcia para meus pais me pegarem.
Eles sempre davam presentes tããão legais! Bem acima do preço estipulado. Confesso que gostava das coisas que ganhava porém, ainda torcia para que a sorte sorrisse para mim e meu nome aparecesse no papelzinho deles!
Até que, no Natal de 2007, descobri que meu pai era meu amigo secreto! Nossa, nossa! Fui abrir o embrulho com toda alegria do mundo e tcharam: tudo o que ele já havia gastado com presentes, ele resolveu economizar aquele ano! Ganhei uma capinha para máquina fotográfica, rosa e bem sem graça. E para melhorar, numa caixa de outra loja, que não tinha nada a ver com o presente!





pauta: ql pior presente de amigo secreto que você já ganhou?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Revista Introdução

O blog estava meio abandonado maaaaaas, agora nas férias pretendo fazer um layout novo e mudar algumas coisas por aqui! Porém, enquanto isso não acontece, vou continuar postando!

(Visual da revista-trabalho.)

Bom, esse post é tão especial que eu precisava escrever logo. A Introdução está quase pronta. Mas e aí, o que é Introdução??

Tudo começou com a ideia minha e de mais dois colegas da faculdade de montar uma revista. Uma piração total e uma paixão a três pelo veículo. Por algum tempo tudo não saiu do papel mas, depois de uma conversa definitiva decidimos ir adiante e tentar colocar o projeto em prática.
A Revista Introdução nasceu de um trabalho e teve em sua "primeira edição" pouquissímos exemplares. Dessa vez, queríamos mais. Cheios de coragem fizemos orçamento para 500 revistas e lá fomos atrás de patrocinadores e anunciantes.
Com certeza essa foi a pior parte. Mexer com dinheiro e com telefonemas e emails falando de preço não foi nada agradável. Mas, no fim conseguimos a grana para mandar para gráfica.

A Revista é toooooda linda. Ela ainda não está pronta mas, deve vir para minhas mãozinhas no máximo até semana que vem.
Seu tamanho é diferenciado e próprio para a correria universitária. Cabe no meio do caderno, do livro, do fichário e continua lindinha sem amassar.
Nosso público alvo são mesmo os estudantes. Pretendemos trazer a eles um pouco de tudo que gostamos de uma forma bem dinâmica. Nada de textos engessados e tradicionais. A palavra é inovação. E tudo isso junto com um bom jornalismo, textos bem escritos e assuntos apurados.

Minha maior emoção é ver um projeto próprio sendo realizado. Algo que não depende de ninguém além de nós mesmos. Estamos nessa correria por conta própria e conseguimos ir até o fim.
Quero colocar aqui depois uma matéria massa que está nela. Mas, depois. Agora é só pra deixar marcado o nascimento da Introdução, porque eu sei que é só o começo.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Ataque de sensatez

Meu primeiro e único ídolo foi o jogador Kaká. Ok, podem rir. Eu tinha apenas 13 anos e era loucamente apaixonada por ele. Tinha pastas, colava fotos na agenda e até escrevi numa árvore "Dani e Kaká forever". Eu vivia sonhando com os detalhes do dia que iria encontrá-lo. Mas, a febre passou, eu tomei juízo na cabeça e hoje não sou louca por mais ninguém.
É claro que famoso sempre é famoso. E sempre existe aqueles que a gente tem uma quedinha a mais. Hoje gosto muitíssimo dos livros da Marian Keyes, da beleza do Caio Castro e da inteligencia do Caco Barcellos. Porém, não sou fanática por nenhum deles.
Se por acaso eu estivesse andando na rua e pá, os encontrasse, eu ia simplesmente comprimentar, elogiar seu trabalho e tirar uma foto de recordação. Ah, e também iria honrar minha profissão fofoqueira (jornalista! haha) e tentar descobrir alguma exclusiva.
Minha reação seria apenas um ataque de sensatez. Nada além disso.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Lista


Sabe aquelas listas "o que ainda quero fazer" que ficam guardadas em agendas e nunca saem do papel? Se o mundo fosse mesmo acabar em 2012 eu resgataria todas elas e realizaria cada desejo!

Iria conhecer Nova York. Pularia de paraquedas. Mascaria 30 chicletes de uma vez. Faria um documentário sobre os transsexuais. Leria os livros que ficam guardados na gaveta. Cabularia todas as segundas feiras. Amaria mais. Choraria menos. Beijaria mais. Brigaria menos. Perdoaria mais. Sofreria menos. Etc, Etc, Etc.



TDB: o que você faria se o mundo acabasse em 2012?

domingo, 15 de novembro de 2009

Considerações finais

Quando vejo as árvores de Natal e as roupas brancas na vitrine já começo a pensar no ano que está acabando. Primeiro vem a saudade antecipada, de tudo que vivi e estou deixando pra trás. E depois, as borboletas na barriga, que indicam as expectativas do ano que está por vir.
Dois mil e nove foi um tanto rápido. Várias mudanças de uma vez, juntas e misturadas.
O cursinho ficou no passado e a vida universitária sorriu para mim. Pessoas diferentes, opiniões variadas, amigos que já estão no coração. Descobri que estava no caminho certo, e que além de me encantar, o jornalismo era mesmo o que eu queria fazer.
Sobre o tempo, falhei muitas vezes na sua administração. Poderia ter feito mais para quem eu amo e preenchido o ócio com coisas mais importantes.
Minha vida recebeu tons claros esse ano, nada de vermelho ou cores brilhantes. Como todo mundo, eu também tropecei nas pedras do caminho, mas consegui levantar. Chorei, algumas vezes por coisas banais, outras por dores do coração. E amei, me entreguei, com todas as forças e com toda sinceridade que tinha.
As lições, tenho de monte, e levo todas anotadas para os 365 dias que estão por vir. Mais um ano, mas experiencias, mais mudanças. Que venha dois mil e dez!

Pauta: Retrospectiva

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A menina do vestido rosa.


O mais impressionante no caso Geisy é o local onde tudo aconteceu. Universidade é lugar de futuro, de mentes criativas, que querem transformação... E então, o que vemos? Uma quase rebelião causado por um par de pernas. Está aí o mair absurdo. Alunos que deveriam se preocupar com ideais se preocupando com vestes alheias.

Quanto a ela, toda mulher sabe (ou deveria saber) que vestidos de elásticos sobem e podem deixar um look sensual, vulgar. Além disso, existem lugares e lugares, e cada um pede um tipo de roupa diferente. Não tem como ir a missa com a mesma roupa da balada, né?

Enfim, a história não tem culpados ou inocentes. O escândalo é muito mais o desenrolar da história, do que a história em si. Tem algumas mídias, tão, mas tãããão, sensacionalistas, que até pediram pra garota colocar o vestido para o pessoal de casa analisar se ele ou não curto.
Por favor! O problema maior não está aí. Volto a dizer, universitários devem abrir sua mentes e se preocupar com coisas mais interessantes que um vestidinho curto!


pauta: caso geisy!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Então é natal?


Minha saidinha para o cinema me fez ver muito mais que o This is it. Quando vi as árvores de Natal, os enfeites e as luzinhas, percebi que o tempo passou voando diante do meu nariz e eu nem percebi.
Bateu uma saudade doida, que eu nem sei do que. Talvez dos natais antigos, talvez de alguma passagem que fugiu da memória, talvez do ano que não tive... Mas, sei também que essa época é toda mágica e me traz vááários sorrisos. Quando me acostumo com o tempo, adoro sair por aí para ver as casas enfeitadas e os papais noeis. E vocês acreditam que aqui em Bauru, tem até uma praça que faz passeio de trenó? Haha

Enfim, a esse lance de virada do ano mexe comigo, e tenho certeza que com muito mais gente. Mas, eu supero tudo assim que uma cesta de Natal pousa na portaria aqui de casa! HAHA



Semana especial. Tenho certeza.





terça-feira, 3 de novembro de 2009

Solidariedade é pink

Estilo não depende somente do que você veste, fala ou assiste. Aliás depende muito pouco disso. O que conta mais é o que você faz. São suas atitudes que mostram quão criativo você é, e quantos viés diferentes você consegue dar para seu estilo.
Um mundo mais pink é um mundo de trocas. Onde classes sociais mais altas ajudam as mais baixas. E onde o preconceito não existe. Hoje, na nossa realidade, ainda é muito dificil suprir todas esses quesitos, mas, podemos começar aos poucos e atingir grandes objetivos.
Pinto paredes de rosa ajudando as pessoas. E faço isso porque gosto, porque me sinto bem.
Calças e blusas que não uso são doadas, sem nenhum apego. Livros são emprestados pra quem pede. E para agradecer as coisas boas que tenho sempre procuro alguma entidade para auxiliar.
Transformar o mundo é possível. Podemos muito bem pensar global e agir aqui, localmente, perto de quem a gente conhece.
Solidariedade é pink e pode acreditar: deixa o mundo um lugar bem melhor de se viver!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Febre social


Se a conversa começou e não deu tempo de termina logo soltamos "Me add no orkut" ou "Me segue lá no twitter" ou " Visita meu myspace", virou rotina nos guiarmos pelas redes, e hoje elas são tão 'essencias' que nem sequer imaginamos uma vida sem elas.
Convenhamos, tudo ficou mais fácil. O acesso as pessoas está a um simples click no computador e as pontes entre os grupos sociais cresceram absurdamente. Tudo bem que o outro lado da moeda também é cruel. O real se misturou com o virtual, a privacidade foi pra bem longe e as amizades viraram 'contatos'.
Mas, acho que entre prós e contras, defendo os lados positivos. O "crie sua conta" é dotado de um charme sem limite (NÃO É? HAHA) e a dica é se entregar a ele com responsabilidade.

pauta para Capricho: redes sociais


Falando nisso...
O meu orkut já foi clonado a alguns anos atrás. A pessoa do outro lado era um doida, dessas que se encanta por fotos alheias e decide então virar aquela pessoa. Descobri porque minha foto estava concorrendo a capa de uma comunidade, HAHAHA, é mole?
Além disso, a menina encontrou meu blog, fotolog, e roubou tudo o que podia! Deu nome aos meus amigos e inventou os lugares da foto. Depois que a raiva passou, eu morri de rir com isso!

Eu sei que tem gente que exagera, mas, às vezes, não adianta aquele lance de "toma cuidado na internet", porque do nada alguém pode gostar de você e pá, querer roubar sua identidade! HAHA

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Minha sorte grande



Entrar no TDB foi uma grande sorte. Depois de algum tempo acompanhando a revista e as pautas do site, decidi que assim que as inscrições para o novo gupo abrisse eu iria me inscrever.
Não espera ver meu nome da lista de 2009. E realmente, não vi. Mas, sabe aquela história que quando a gente deseja algo com muita força, ele acontece? Pois é.
Decidi enviar um email pra Nath Duprat parabenizando seu trabalho. Afinal, blog é uma mídia livre, totalmente opinativa e colocar textos extraídos dele numa revista, não é uma tarefa fácil.
Foi aí que tive uma surpresa! Meu nome havia ficado na lista de espera e como algumas meninas desistiram, eu entraria no lugar de uma delas. O problema estava na data do email. A resposta teria que ser enviada no mesmo instante, porém eu estava lendo a mensagem com três dias de atraso.
Mas, no final deu tudo certo. Entrei no grupo nos quarente e cinco do segundo tempo. E mesmo sem trevo e pé de coelho, naquele momento, eu me senti a pessoa mais sortuda do mundo.

PAUTA: SORTE

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O que você faz quando ninguém te vê fazendo

Que atire a primeira pedra que não tem suas esquisitises. Somos feitos de pequenos prazeres pra vida ficar melhor e alguns desses são tão doidos que ninguém imagina.
Tem gente que gosta de ouvir setanejo no ipod nos dias de fossa, outros se sentem bem apenas de sentir cheiros de livros e tem aqueles que se satisfazem com uma panela de brigadeiro inteira.
Pra mim, nada melhor que ficar na janela pensando na vida. Moro em prédio, então dali eu vejo tudo. Carros, pessoas, cachorros. Crianças brincando na pracinha. Casaiszinhos beijando escondido. Gente atrasada pro trabalho. Adolescentes bolando baseado na noite de sabádo.
É muito louco, mas é meu bigbrother particular que recupera minhas energias. Vejo cada detalhe e imagino a história de cada um que passa aos meus olhos. Posso gastar horas assim, só observando e inventando rotinas alheias. E você, o que gosta de fazer quando ninguém tá olhando?


pauta: guilty pleasures

sexta-feira, 9 de outubro de 2009


A história é uma estória e o homem é o único animal que ri e é rindo que ele mostra o animal que é.


(Millor Fernandes!) com ponto de exclamação :)

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Ê Brasil!

Foram justamente os burburinhos do começo do ano que fizeram eu me entregar à universidade particular. As boas intenções do Brasil com o novo vestibular não me convenceram. Sempre achei o sistema cheio de falhas para atuar na realidade atual, começando pela ousadia de vigorar ainda esse ano.
Mas, foi decidido. O novo Enem iria melhorar a vida de muitos estudantes e prometia diminuir o massacre de provas das federais, que desgastam qualquer um.



Pra mim, a fraude foi mesmo uma grande ironia do destino. Afinal acontecer algo tão sério, bem no ano das mudanças, só pode ser serviço da querida Lei de Murphy. E agora, como fica Brasil? As datas estão apertadas e, os estudantes desesperados. A promessa de poupar energias virou um sonho distante.
Culpa dos indiciados, culpa da população e principalmente culpa do país, que se comprometeu com um sistema que não tinha base para suportar. Quem sabe agora que os planos sairam dos trilhos, o pessoal da chefia não pense melhor antes de inovar sem ter certeza.






Pauta: Enem, e agora?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Dura - lhe a dor quando aflora


As quartas feiras nunca foram as mais agradáveis para mim. Meio da semana, nem cá, nem lá, um clima morno, jogo de futebol na tv... Depressão na certa!
Mas enfim, acho que todo mundo tem um dia no qual NÃO se identifica por nada no mundo.
Finalzinho de 07 essa concepção mudou um pouco, já que as quartas viraram zeca-feira, e a galera sempre estava junto bebericando em algum lugar. Mas também, foi só. Virando o ano, tudo voltou ao 'normal' e eu continuei aqui, com raiva desse dia cinza. E quando a gente não gosta, torce logo pra passar.

O dia de hoje foi longe disso.
Parece que ele resolveu fazer hora extra e esticar as horas. Só as 24 não foram suficientes pra dar tanta coisa errada.

- Estou pensando seriamente em mudar esse layout. Vamos ver... Quem sabe até o final do ano o Bolhas não está de cara nova! :)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Ainda dá tempo!

O nome do blog já fala um pouco dos meus ideais. Acho mesmo que as pessoas fazem e desfazem, mas sempre continuam na mesma água. Não acredito em mudanças radicais, principalmente quando elas são de carater ou comportamento. A essêcia não muda. E é ela que sempre irá nos caracterizar.
Mas, hoje, pensando no que iria escrever aqui para o post da Capricho, me veio outra ideia na cabeça. Sobre as situações.

Quando amores já perdidos reviveram em outra época? Quantas amizades ganharam nova cor após o amadurecimento? Quantos caminhos bloquiados voltaram a se encontrar?

Nunca é tarde pra rever nossos relacionamentos. Às vezes a chama tá ali, esperando pra ser reacesa. Só precisa de um empurrãozinho. Então, devemos juntar nossos personagens preferidos e escrever um filme novinho em folha. A aventura será diferente. E a intimidade, a mesma.
E se existe amor, vale a pena! Afinal, você pode se arrepender a vida inteira por não ter tentado.

Claro, que isso não é lei. Segundas chances são bem vindas, mas terceiras e quartas, não. Se não dá certo, é porque não é pra ser. (clichê verdaderissimo!) E também, quando as peças não se encaixam e a coisa não vai pra frente, sacamos de cara!
Daí o dificil é sair do comodismo e encarar o fim. Mas esse é assunto pra outro post! :)

Pauta: Nunca é tarde para...


terça-feira, 15 de setembro de 2009

Crescer é inevitável.

Primeiro foi o sutiã. Ainda lembro daquele top que minha mãe comprou pra mim, e a batalha que ela enfrentou para fazer eu usá-lo. Logo depois, eu já fiquei "mocinha", e no pacote veio a cólica e a tpm.
Foram alguns meses assim. Um monte de mudanças e eu no meio, perdida. Não aceitava meu novo corpo, nem as responsabilidades, muito menos as espinhas no rosto. E a ideia de não ganhar presente no Dia das Crianças? Me apavorava!
Mas, de repente, a ficha caiu, e de uma hora pra outra os interesses mudaram. Os brinquedos deram lugar para festas teen e maquiagens. E os bonecos de pano começaram a ser substituídos pelos de carne. Crescer se tornou inevitável, e ser chamada de criança começou a ser uma ofensa.
Hoje, já na faculdade, sinto falta das tias da escola, das tarefas e do recreio. Sinto saudade do patinete e das redações de tema livre. Parece, que naquela época, as dores eram mais passageiras e os problemas bem mais fáceis.
Mas, crescer também é bom. A cada novo aniversário me sinto alguém mais forte e mais preparada pra enfrentar a vida lá fora.
E enfim, não tem problema brincar de Banco Imobiliário e raspar a massa do bolo de vez em quando, tem?


Pauta para o Tdb: Quando percebi que não era mais criança.

Expulsos!

Cartão vermelho para a Tv aberta aos domingos! Apresentadores sensacionalistas cometem falta penosa quando expõem a desgraça alheia para subir o ibope. Você liga a tv e encontra só bobeira, choros e bundas! Não há nada de educativo ou interessante. Então, expulsão para eles!

É um clichê, mas convenhamos que merece! :)


Pauta para o TDB: pra quem você daria um cartão vermelho?

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Arebaba


Sempe fui fã de novelas. Confesso que gosto de pegar o bonde já andando, com a trama já enroscada. Mas, mesmo assim, adoro as histórias, e admiro os autores pela criatividade de bolar tantos personagens diferentes, e que ainda, se interajam. E com Caminho das Índias não foi diferente.
Peguei a novela no meio, e não consegui assisti-la todos os dias por causa do horário da faculdade. Mas nas férias, me dediquei totalmente a ela, e V-I-C-I-E-I. HAHA


Fala sério gente! O Brasil é alimentado por bordões e modinhas de novelas. A cultura de massa é tão notável, que durante o período de exibição as ferinhas e as vitrinhas ficam abarrotadas de roupas, estampas, bolsas e tudo mais que é visto na Tv. Eu mesma já perdi as contas de quantas crianças eu vi imitando a Maya e falando Arebaba por aí.
Por isso, acho incrível autores que conseguem abordar temas importante dentro das novelas, como inclusão social, aborto, doenças... enfim, temas que ensinam e conscientizam, de uma forma leve e muitas vezes até imperceptível.


Amanhã acaba! E eu já to aqui triste. Mas, sei que daqui a pouco eu vicio em outra, e começa tudo de novo.


:)

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Sobre amor-próprio.

Minha auto estima sempre girou em torno de quilos e de corpo perfeito. Gordinha desde sempre, busquei incessantemente ser magra e feliz e corri atrás disso o quanto pude. Fui a endocrinologistas, nutricionista, massagista e outros tantos 'istas' que me indicavam.
Tomei remédios fortes, emagreci e deixei minha auto estima a mil. Afinal, aquilo era tudo o que eu queria. Mas, algum tempo depois cai de cara no chão.
Voltei dos Estados Unidos bem mais rechonchuda do que quando fui. E ansiedade do vestibular misturada com a ausência do remédio me fez comer o dobro, e entrar num buraco cada vez maior. Cada vez que uma calça não entrava eu chorava mais e me sentia a pior pessoa do mundo.
Definitivamente, meu amor próprio foi a zero, e textos melancólicos e deprimidos dominavam meu blog. Minha vida, de repente era aquilo, e eu não conseguia enxergar mais nada de bom em mim.
Consegui me livrar disso tudo quando vi que amor-próprio é muito mais que um corpo bonito. É você amar suas diferenças e fazer de você especial por elas. Hoje, às vezes, ainda me olho no espelho e tenho vontade de fugir. Mas, sei que minha vida não gira mais em torno disso.
Afinal, se primeiramente eu não me amar, ninguém mais poderá fazer isso por mim.

pauta para o tdb

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Ética no jornalismo


Para quem está começando nesse mundo jornalistíco, assim como eu, e quer um livro bom para ler, aí está um que é mara!
Fiquei sobre ele no blog do próprio Christofoletti (http://www.monitorando.wordpress.com/), e como precisava fazer um trabalho sobre ética, fui logo comprar. E confesso, entre os cinco autores que tive que ler, esse foi o que eu mais gostei!
O livro carrega uma leitura fácil e gostosa, sem textos maçantes e difíceis de entender. Você aprende um monte de coisa bacana e nem vê o tempo passar.
E ainda, o capítulo final traz 10 questões para pensar, onde o autor deixa boas perguntas para reflexão.

O capítulo que eu escolhi para desenvolver para a faculdade foi Pontos de partida para a discussão. Nele, o autor fala sobre cinco mitos que ouvimos sobre ética na sociedade, e desmente e comenta cada um deles. Achei ótimo!
"O professor de ética profissional nãp pode esperar que "ensine" valores para seus alunos, moldado-os para o mercado de trabalho e para os dilemas que enfrentarão, nem se iludir, pensando que está catequizando seus pupilos. Seu caminho passa mais perto de provocador do que pastor."

Além desse capítulo, houve outro em especial que me chamou muita atenção: cobertura esportiva. Enquanto muitos veículos decidam por preservarem o time de seus jornalistas, o jornal Lance faz o contrário. Ele nomina as preferências de seus colunistas logo abaixo da assinatura dos textos.
Mesmo que eu não me interesse muito por jornalismo esportivo, o conceito me fez pensar. O tradicional é sempre manter a pluralidade na hora de redigir um texto, porém, quem sabe a saída para obter maior transparência e equilibrio está em mostrar as regras do jogo?

Em tempos de sensacionalismo, impresso-com-jeito-de-tv e queda do diploma o que nos resta é ser éticos. E nada melhor que boas leituras e pesquisas para começar!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Caro amigo

CALOR,

Que saudade que eu estava de você, meu caro. Agora que você voltou temos que combinar o mais rápido possível um churrasco regado a piscina e caipirinhas.
Os meses que vocÊ tirou férias foram difíceis querido. Passei horrores com aquela bota de cano alto e com as meias de lã. E pra dormir então? Uma catástrofe. Parecia um sanduíche de cobertor e edredon. Definitivamente, a vida não era a mesma sem os vestidinhos e sem o banho refrescante de fim de tarde.
Espero que tenhamos vários encontros nesses meses, porque o seu cheiro me enche de vontade de viver!

Um beijo. Daniela



Nasci no país certo. Se eu fosse obrigada a conviver com o frio 12 meses por ano, eu seria uma chata pra sempre.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

É amor ou amizade?

Amor e amizade são vizinhos de parede. Como casas geminadas, que coexistem num todo só, mas no fundo são dois inteiros separados. Na amizade existe amor, e no amor existe amizade. Cada um na sua forma, do seu modo, e um sempre prevalecendo e marcando a relação.
Mas, às vezes as casas se confundem, não sabemos o que sentimos e muito menos qual é o sentimento que destaca a relação.
Quebrar as paredes e se entregar a um amor amigo é sempre um risco. Nunca cheguei perto de um amor assim, mas já tive amigos que tentaram, se amaram por longos dois anos, foram felizes, e depois acabou. A amizade ficou em outros planos, mas tenho certeza que eles guardam ótimos momentos do namoro que tiveram.
Se der pra evitar, é sempre bom, afinal, quem não gosta de ter aquele melhor amigo, que a gente pode contar tudo na maior intimidade? Mas se a paixão já aconteceu, já está feito, não tem mais pra onde fugir. Ou é investir ou passar a vida inteira se perguntando se daria certo.
A vida é uma só, e acordar arrependido é sempre melhor que dormir com vontade.


Pauta para o site: E seu BFF se apaixonasse por você?

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Passos para perfeição

Pra escola ficar perfeita só precisa de alguns passos:
1- Colírios da Capricho circulando pelo pátio. Assim, a vontade de ir pra escola aumentaria em cem vezes.
2- Abaixo a matérias massacrantes e teóricas. Viva palestras e debates. Esses metódos sim, ajudam a fixar o conteúdo.
3- Cadeiras almofadadas e confortavéis, daquelas que podemos cruzar os pés em cima. Pelo menos os exercícios de física ficarão menos piores.
4- Música no intervalo. Além de acordar o pessoal que ainda está dormindo, um sonzinho levanta qualquer astral.
5- Comidinhas mais gostosas nas cantinas. Apoio o crepe, o suco de laranja, e o misto quente.
6- Fim aos salgados fritos. Além de ser uma bomba calórica, eles geralmente tem gostos horríveis.
7- Mais aulas de atualidades. Aluno pensante tem futuro, e é isso que o Brasil precisa.
8- Fim a ditadura dos professores. Cada um deve poder argumentar sobre o que acha errado.
9- Espaço para talentos. Assim, aquele que toca violão ou canta poderá mostrar suas vocações a um público.
E enfim, o décimo item: A palavra vestibular deve ser proibida! Todos sabemos que teremos que passar por essa temida prova, e escutá-la a cada momento é pressão demais para um adolescente.


Pauta para Capricho: O que precisa pra escola ficar mais legal?

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Aniversariando

Sempre me disseram que a gente torce para os 18 chegar e logo depois quer estacionar no tempo, porque a partir daí ele voa. Mas eu nunca levei a sério. O carro e a maioridade sempre estavam tão longe, que só hoje percebi como o tempo passa. Passa pra mim, passa pra você. Inevitável, Assustador. Incrível.
E são esses dias antes de assoprar as velinhas que nós (pelo menos eu) ficamos pensando na vida, nas realizações e até mesmo nos planos que ficaram pra trás. As rugas chegam, e com elas as responsabilidades de uma nova idade.
As percepções são muitas, difíceis demais para serem escritas em palavras. Como um emaranhado de linhas e informações impossíveis de desenrolar.
Mas contudo, posso dizer que continuo baixinha, amando bolacha recheada e cremes para o corpo. Estudo jornalismo, sou colaboradora da Capricho, tenho irmãos maravilhosos, pais espetaculares, namorado delícia, e amigos insubstituíveis. Sou chorona, paciente, ainda preciso aprender espanhol e treinar o meu inglês enferrujado.
Segundo a numerologia esse é o ano mais importante do ciclo, o ano de amarrar o que está solto e colher enfim o que plantei. O número 9 representa a base do movimento da vida, o temínio e o começo, e é meu dever descartar tudo o que não é essencial, pra no próximo ano começar um novo ciclo em paz.


Sou Leão, sou fogo, sou Dani. Sei sorrir e sei amar. E hoje, tenho certeza que sou muito mais forte do que um ano atrás.




Meu aniversário é só dia 17/08... maaaaaas, o texto já tá ai. :)

quarta-feira, 29 de julho de 2009

AMOR INCONDICIONAL

Cheguei numa família já formada. Irmão de oito, irmã de dez.
Quando morávamos juntos tínhamos um amor bandido, cheios de brigas e abraços de reconciliação. Já teve asa de anjo quebrada, tortada de frango nas costas, tênis voando e muuuuita cara feia mesmo!
Mas como ninguém escapa do tempo, nós crescemos. E os desentendimentos começaram a dar lugar pra saudade. Meus irmãos casaram, o carro ficou vazio nas viagens e o apartamento apertado agora tem quarto de hóspedes.
Porém hoje não tenho apenas uma casa. Tenho três! Ganhei mais duas famílias que sempre estão de braços abertos me esperando. Uma com edredon quentinho e leite condensado. O outro com videogame e cházinho.
Os barracos? Ah, eles ainda aparecem pra não perder o costume, porque irmão que é irmão não pode concordar sempre!
Obrigado por serem meu tudo. Obrigado por receberem uma recém nascida na família pronta. Obrigada por me acostumarem tão mal.Obrigada por me darem tanto amor. Obrigada por me inspirarem e serem meus exemplos. Eu amo vocês meus chatinhos, e o melhor de tudo, é pra sempre.


pauta pra Capricho: papo entre irmãos

terça-feira, 28 de julho de 2009

Semelhança futura


Meu vício em série: Prision Break. Os olhos vidrados na Tv acabaram faz poucos dias, quando termineia última temporada (e chorei no episódio final), e por mais que infelizmente nenhuma semelhança atualmente seja encontrada, um dia quero ser igual meu muso de olhos azuis Michael Scofield. Seria fácil viver num mundo cheio de perigos quando se tem uma mente brilhante igual a dele.
Ele teve coragem pra fingir um crime e entrar numa prisão para salvar o irmão inocente. Quebrou a maior associação organizadada história dos Estados Unidos mesmo com um tumor no cérebro. Conviveu com bandidos, estrupadores e assassinos. E ainda teve sensibilidade pra amar Sara Trancredi.
Ei Michael, a gente não se parece. Ainda. Porque um dia vou ser tão boa quanto você.


Pauta para o TDB: Que personagem de série você é?

terça-feira, 21 de julho de 2009

O dia que não passei no vestibular


Eu lembro exatamente daquele dia de janeiro, a ansiedade pelo resultado, e a decepção de não estar dentro da faculdade que eu queria. Chorei litros de lágrimas e aceitei todos os abraços que me ofereciam, mas o arrependimento caiu em cima de mim e me encheu de culpa.
Eu podia ter saído menos aquele ano, me concentrado mais nas aulas, não ter tido tanta preguiça de levantar para o cursinho. Deveria ter estipulado regras a mim mesma, comido livros com farinha e preenchido as tardes ociosas com boas leituras e pesquisas.
Muitas coisas boas ficaram do meu meio esforço, mas se eu pudesse voltar atrás eu teria o feito por inteiro. Evitaria meu primeiro fracasso de gente grande e me pouparia desse arrependimento gordo que me segue.
Talvez seria tudo diferente, se eu tivesse feito diferente.

Pauta para o site da Capricho: Qual seu maior arrependimento?

terça-feira, 14 de julho de 2009

Coisas que eu adivinho sem ninguém ter me contado.


É uma Daniela. Ou milhões.
Aprendeu que é muito mais forte do que pensava para algumas coisas e muito mais fraca para outras. Rezava para chegar logo o aniversário de 18 anos e todo aquele blablabla por trás dele, e sem dó caiu de cara no chão. Entra na balada com carta de motorista e dirige pelas ruas da cidade com seus óculos de sol, mas ainda não gargalhou como esperava.
Entende um pouco de tudo, mas se concentra principalmente no que gosta. O jornalismo foi uma opção dentro das poucas que havia. Nada de números, nem fórmulas e muito menos reações. Seria um fracasso como engenheira mas admira o pai que exerce tão bem essa profissão.
É apaixonada pelo seus irmãos e os considera os melhores amigos de toda a vida. São eles que a botam no colo e abraçam forte quando ela precisa.
Tem uma mania irritante de tomar banho e ficar de roupão na cama viajando para lugares distantes. Para manter a sanidade, primeiro ela estabelece as fronteiras e demarca a linha do real. E depois, pula pra diversão. Faz as borboletas no estômago acordarem mesmo que a excitação seja vaga.
Gosta de fazer surpresas para quem merece, e deixa o coração aberto para que o mundo das ideias a invada. Ama a chuva, ama o sol e ama especialmente o frio, já que ele deixa todos em sua volta mais bonitos a seus olhos.
Prefere não conversar sobre o que ainda não conhece, e caso se sinta a vontade enche a pessoa de perguntas para sanar sua curiosidade incontrolável. É esperta, mas fica pra trás nas piadinhas de lógica.
Antigamente achava graça do mundo, e hoje tenta desesperadamente encontrar de novo esse ponto perdido em seu caminho. Leva feridas ainda abertas, mas sabe que aos poucos curará todas elas e alcançará o equilibrio. Tem um potinho de fé inteiro para as horas ruins e uma oração feita por ela para todos os dias.
Gosta de falar de si mesma. E, pouco mais de um mês de fazer aniversário, sente falta de quando tudo era mais fácil. Tem sonhos amontoados na gaveta e não irá desistir deles tão fácil, já que por eles só ela, ninguém mais.
Uma, ou milhões?

segunda-feira, 29 de junho de 2009

O melhor de todos.

Ano de vestibular, matérias massacrantes e um professor de física. Ninguém imaginaria que dessa combinação surgiria alguém tão especial.
Na corrida contra o tempo em terminar apostilas e passar todo o conteúdo, ele achava espaço para ser amigo dos alunos e isso que o fez ser o melhor de todos. Sempre recebia convite para os churrascos da turma, e frequentava com prazer. Ria com a galera, dava conselhos, curtia e esquecia o estress escolar. Não foi a toa que foi escolhido o paraninfo da sala. Ele era a cara do terceiro colegial com suas piadinhas infames e sua risada fácil.
Ainda lembro dos dias de aula, dos apelidos subliminares, do aniversário surpresa e também lembro depois, o grande dia, a colação de grau, as homenagens e o choro sem fim. Foi o melhor de todos os anos, e o Mau Mau tinha que estar nele. A cinemática, as fórmulas, Newton e a força peso eram meros detalhes, porque o carinho contava muito mais.
Infelizmente depois de um tempo a memória começa a falhar, as imagens já não são tão nítidas, mas quem foi importante de verdade permanece. Hoje, fica a saudade, as fotos, as lembranças, e todas as lições (não de física) que aprendi naquele ano com meu grande Maurício. E, minha gente, é fácil ou não é?

PAUTA PARA CAPRICHO: Ao mestre com carinho.





falando nisso...

É engraçado acordar sorrindo, lembrando daqueles dias da escola. Ê saudade minha gente. Mas todo mundo sabe que não dava pra ficar ali pra sempre. Cada churrasco, cada auê e cada quarta feira foram únicas, porque no fundo todo mundo sabia que dali a a pouco tudo ia se desfazer, e se dividir inversamente proporcional as multiplicações daquele ano. Cada vez era mais gente nova, e mais risadas, mais musiquinhas e mais agitos.
Eu ria tanto e sempre. O choro era de besta mesmo, e só vinha de vez em quando, quando a risada já era suficientemente muita.
Será que no chão daquela chacára ainda tem o quadrado desenhado? Ou ainda resta aquele tronco cheio de ps's? A vida era uma montanha russa, e a gente sabia curtir cada looping!
Os tempos da escola foram necessários pra mim ver que hoje a euforia passou e que sou feliz e até mais do que aqueles dias. Não há confusão, ou arrependimentos, e o carinho é tanto pra me cobrir de noite e me esquentar. Mas os dias de verão intenso a gente nunca esquece.







Na foto, uma das milhões de fotos existentes do meu grupinho de terceiro colegial. Tinha até nome: Boatos Life Style ou simplesmente BLS. Entre as preferências do pessoal estava as brigas, a vodka, e os boatos, que sempre se espalhavam na velocidade da luz.

Tá causando, Tá roendo, A gente tá causando a muito tempo, causando a muito tempo, causando a muito tempoôô.




terça-feira, 23 de junho de 2009

Super-Brigadeiro

Tem dias que sorrisos demais me irritam, silêncio me estressa, e minha concentração vai a zero. Parece que o mundo brigou com comigo (ou seria melhor, eu briguei com o mundo? Enfim, tanto faz!) e tudo que eu resolvo fazer dá absolutamente errado.
É nesses dias que o rato vira um elefante, a torrada cai com a manteiga pra baixo e todas as estações da rádio tocam as piores músicas do século. Então, a única solução para revolucionar meu humor é um bom brigadeiro feito em casa.
A padaria da esquina sempre está me esperando com uma lata de leite condensado e a medida que o cheirinho começa a sair da panela meu bom humor começa a voltar.
Acho um bom filme na TV e me dou o luxo de não fazer nada, só raspar a panela, esperar esfriar o resto do doce e ficar ali recuperando as minhas energias.
Aí é só alegria, meu nível de serotonina aumenta, as coisas voltam a seus devidos lugares e volto a ser eu novamente, cheia de energia para encarar a vida lá fora.
Infelizmente, quem também sobe nesses dias são os números da balança, mas nada que a academia não resolva mais tarde.


Pauta para a Capricho: O que salva seu dia?

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Amigos até onde?


Os "Amigos de Aluguel" oferecem uma casca linda e superficial de uma amizade. Eles passeam com você no shopping, vão a festa ou se dispõem a fazer viagens super divertidas, tudo isso com muitos sorrisos e uma boa quantia em dinheiro. Gostou? Vá em frente.
Porém amizade é muito mais que isso, ela é um inteiro complexo e enroscado que não precisa grana para existir. As pessoas se identificam, se gostam e se tornam amigas. Elas possuem um compromisso imaginário, e esse relacionamento não é sempre cor-de-rosa. Há brigas, desentendimentos, discussões, mas geralmente é isso que fortalece e torna a amizade ainda mais próxima.
Alugar um amigo é uma solução prática para quem só quer o lado bom da coisa, ou para aqueles que precisam desesperadamente de uma companhia. Mas até onde vai o profissionalismo e o sentimento verdadeiro? Quais são as barreiras desse serviço? E se o tempo de aluguel acaba e a vontade de estar junto não? Numa história dessas o pessoal está muito perto do profissional, e uma coisa que precisa ser sincera pra exister, acaba se tornando fria e mecânica.
Aí então é melhor contratar um robô, não?



Pauta para o site: www.amigosdealuguel.com.br -> Vocês acham isso legal? Vocês contratariam o serviço se precisassem de companhia para algum evento ou programação? Ou é “coisa de desocupado”, afinal amizade não se compra de jeito nenhum?

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Jornalistas sem diploma?

O STF decidiu ontem pela não obrigatoriedade do diploma de jornalismo e isso para uma estudante de primeiro semestre é uma decisão desanimadora e frustante. Em pouco tempo de faculdade já percebi que se aprende muito mais na prática, fazendo, escrevendo e entrevistando, do que sentada numa carteira. Porém a teoria é tão importante a um jornalista quanto a outros profissionais.
É a existência de uma base sólida que transforma uma simples informação em notícia de qualidade e forma profissionais comprometidos com o que fazem.
Espero que o critério de avaliação para um bom emprego seja justo e valorize quem estudou pra fazer aquilo.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Água para elefantes

O lado mais bacana de ler esse livro foi a minha ignorância em relação a ele. Primeiro eu não sabia de sua existência e segundo, logo no começo quase desisti dele por não gostar do jeito que a autora escrevia.
Mas depois de mergulhar nessa história de circo eu fiquei tão maravilhada que não conseguia largar. É um misto de passado e presente, onde Jacob conta seus anos no circo e sua atual vida numa casa de repouso. A elefanta Rosie rouba a cena com sua inteligência, mesmo sendo chamada de 'burra como uma porta' pelos criadores do circo. É uma história de amor, de dificuldades e de alegria e parece (meeeeeeesmo!) que você está dentro do espetáculo vivendo os absurdos de Tio Al.


"E daí que eu tenha 93 anos? E daí que eu seja velho e entrevado e meu corpo uma ruína? Se eles estão a fim de me aceitar, a mim e à minha consciência culpada, por que eu não deveria ir embora com o circo? É como Charlie disse ao policial. Para esse velho aqui, esta é sua casa."

segunda-feira, 8 de junho de 2009

DOIS EM UM :)

Depende de quem, pra quem.
Não existe cantada perfeita, isso é fato. A fórmula se resume apenas em: nem vulgar, nem romântica demais, só isso. Afinal ninguém gosta de ter seus cabelos enroscados na balada. E também receber flores antes de se conhecer é demais.
Agora o resto é resto. Vai depender da ousadia, criatividade e principalmente química das partes envolvidas.
Pode ser uma ligação de amigo, uma mensagem direta, um elogio, uma troca de olhares ou bilhetinhos secretos. O que impressiona é a coragem, afinal ninguém (mesmo os mais atiradinhos) gosta de levar um não.
No fim, quando a coisa dá certo, a gente esquece a cantada, e outras coisas vêm em primeiro plano.
E ah, sabe aquela minha amiga ali? Tá perguntando se você quer ficar comigo.

Pauta para a revista: como é a cantada perfeita? Estilo romântico? Divertido? Ousado?

Comer pra viver ou viver pra comer?
Hoje o mundo dos doces, dos salgadinhos e dos enlatados são tão brilhantes aos olhos humanos, que nos esquecemos o significado de saudável. Nosso corpo se transformou num depósito de gostosuras gordurentas que fazem mal a saúde. Elas são intupidores de veias disfarçados, e nós, nem percebemos. Ficamos no meio dessas embalagens laminadas, querendo experimentar tudo que vemos pela frente. Depois, é aquele corre-corre pras dietas milagrosas. Mas o ditado já dizia, tudo exagerado faz mal. Alguns tem sorte e não engordam com facilidade, mas mesmo assim não estão livres da alimentação balanceada.
Para se viver bem é necessário comer de tudo um pouco. Legumes, carnes, massas e até salgadinhos. O que não pode é pirar.
Uma alimentação cheia de autos e baixos influencia diretamente no nosso corpo: nos cabelos, na pele e claro nas gordurinhas e nas celulites. Porque somos sim o que comemos.
Respeitando a filosofia de cada um, temos que aproveitar as delicias do mundo moderno, mas em medidas conscientes, afinal quem não sonha com o corpo perfeito?

Pauta pra revista: você é o que você come?

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Entre amores e perfeição.


O namorado perfeito abraça e faz o frio passar. Compra um milk shake com cobertura extra no auge da sua tpm e te espera com filme e cobertor depois da faculdade. Ele gosta das mesmas músicas que você, das mesmas comidas, das mesmas baladas.
Mas o que faz mesmo ele ser tão perfeito assim é o amor, e principalmente o respeito que ele sente por você.


BRU, te amo!
VOCÊ É PERFEITO.


Pauta pro site: Qual é o namorado perfeito?

sábado, 30 de maio de 2009

Ganhadora do BBB

Vinte e quatro horas e um milhão. Pode acreditar que é mais difícil do que parece!
É a mesma coisa daquelas promoções de supermercado: "coloque tudo no seu carrinho em 5 minutos." Quando o tempo acaba, você percebe que comprou produtos de limpeza ao invés de seus chocolates preferidos.
Então, se eu tivesse com toda essa grana no bolso eu não cometeria os mesmos erros, deixaria a segurança pra trás e aplicaria cada centavo em sorrisos.
Compraria um apartamento lindo, uma boa poltrona reclinável e uma estante pra livros. Só pra sentar, tomar um capuccino e ler sem ter hora pra acabar.
Iria para o shopping e gastaria com todas futilidades que me fizesse gargalhar! Blusas, bolsas, sapatos. Presente pro pai, pra mãe, pro namorado, pros irmãos. E claro um estoque de caixinhas de macadamia com canela e açúcar.
Seria uma milionária pirua e desvairada. Iria pagodiar a noite toda, experimentar todos os sabores de caipirinha e contar piadinhas para as pessoas rirem.
E antes do dia acabar e meu rico dinheirinho virar vapor, daria um troquinho gordo pro
guardador de carros e embarcaria direto para Nova York.
Agora, como eu iria me virar no outro dia, num país diferente e sem dinheiro, é uma outra história.


Pauta para Capricho: O que você faria se tivesse um milhão de reais para gastar em apenas um dia?


SOBRE CELULARES E MICOS


Sou a rainha dos micos. Tropeço, caio, perco tudo ao meu redor. Desconfio que na minha testa esteja escrito: perigo! Mas meu último mico venceu as expectativas.
Meu celular não é o dos melhores, coitadinho. Ele nem chega perto de ser um celular, é vermelho, todo riscado e sem a capa da bateria, mas ele fala e isso que me importa.
Ele mora na minha bolsa, nunca sai pra passear, mas esse dia ele resolveu dar um rolé.
Já era noite, tinha acabado de sair da faculdade, passei na casa do namorado e só depois fui lembrar do coitadinho do celular, e cadê ele? Não estava na bolsa.
Ah, tudo bem, devo ter deixado no carro, pensei inocente. No outro dia procurei no meio dos bancos e nada! Mas celulares são assim mesmo brinclhões e adoram se esconder.
Resolvi praticar o ato mais humano nessas situações: disquei nele para o ouvir tocar e tcharam... uma voz estranha atendeu.
O moço começou falar que tinha achado o cel no meio da rua e que ele estava na avenida tal e era pra mim ir lá buscar o celular.
Fui eu e minha mãe. Ela chegou a conclusão que iria colar minha cabeça, pra não precisar também busca-la com alguém. Ficamos meio hora andando a pé na avenida para achar o moço. Confundimos as pessoas. Perguntamos coisas pra quem não tinha nada a ver. Até que achamos o tiozinho! E sabe o que ele estava fazendo? Batendo um papo no meu celular com o meu namorado.


Pauta pra revista: qual o maior mico que você já pagou?

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Uma ideia melhor, por favor!


Admirei a causa, condenei a ideia. A explicação? É simples, dinheiro nenhum paga o beijo de Robert Pattinson, nem de qualquer outro vampiro a solta por aí.
Atribuir valor a uma beijoquinha não é uma coisa legal. Tudo bem que o meninão é de olhar na rua e dobrar o pescoço pra olhar de novo, mas acreditar que seu beijo tem um preço é se achar a coca-cola do deserto. Porque beijo é algo que não se vende (nem se pede, HOHOHO), e sim acontece. As fãs que o encontrarem devem exigir esse tipo de carinho de graça, porque faz parte de ser fã! (Além de economizarem 20 mil dolares!)
Mas, como nem tudo é perdido, admiremos a causa do bonitão. Se seu estalinho nas bochechas ajudará tantas pessoas, tudo bem vai... o público te perdoa Edward! Mas vê se da próxima vez leiloa um jantar romântico, um voo pelo bosque ou até mesmo seu Volvo C30.



PAUTA PRO SITE: Recentemente, o queridinho do momento Robert Pattinson leiloou um beijo seu, num evento beneficente, para ajudar a organização Cinema contra a AIDS. Quanto vocês pagariam (ou não!) por um beijo do badalado vampiro?

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Pu-bli-ca-da :)


(Clique na foto para ampliar)

Semana de prova na faculdade é sinônimo de stress. Eu tinha que saber tipos de papéis, regras de impressão, Popper, T.Khun, características dos veículos de comunicação e tantas outras coisas sobre esse mundo jornalístico. Aí é aquela correria, estuda isso, estuda aquilo, dobra e desdobra pra ir bem. Mas no fim das contas quando eu respirei aliviada que tinha acabado tchaaaaram uma surpresa tão boa que compensou o esforço da semana. E tantos outros mais que estavam por aí. A decepção passada virou orgulho!
own *-*

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Miss Vida e sua história


Era mais um dia normal. Eu estava imprimindo meus textos da faculdade como sempre, até que, apareceu na minha janela uma moça linda, de sorrisos brancos e pele perfeita. O seu top já havia sido tampinhas de refrigerante na vida passada.
A miss Vida me deu um cartão bônus, oferecendo um voo grátis e aceitei o presente na hora (eu amo coisas grátis, mas isso não vem ao caso). Ela passou uma capa cor limão nas minhas costas, me fez colocar uma mochila antiquedas, e lá fomos nós.
Eu estava em êxtase por estar voando, mas depois de ver aquela imensidão de árvores cortadas, matas queimadas, e águas fétidas e marrons dos rios eu cai na real. Olhei para a Vida e seus olhos estavam cheios d'água.
Foi um passeio rápido e suficiente para eu chamá-la pra tomar um café. Fui ao mercado, levei a minha própria sacola e neguei com gosto quando as atendentes me ofereceram sacolinhas plásticas. Fritei batatas, guardei o óleo num potinho pra mais tarde virar sabão e fiquei ouvindo a Vidinha contar a sua história.
Ela me disse sobre seu poder de ficar invisível e como ela o coloca em prática: entrando nas casas e fechando torneiras que foram esquecidas abertas. Além disso, ela me falou sobre a perseguição diária que sofre dos super empresários - aqueles que ignoram a preservação e só pensam em dinheiro - Mas a Vida possui o poder corre-rápido e sempre foge deles. Ela mora em uma casa da árvore (em plena Amazônia), e sabe que sua missão apesar de dificil não pode ser deixada.
Antes da despedida ela tomou um banho de água aquecida (pela luz solar) e me deu um grande abraço. Enquanto eu acenava na janela tive a certeza que estava louca e criara aquela bonequinha verde.
Resolvi dormir, mas quando entrei no meu quarto tinha um bloco de folhas recicláveis e um cartilha de como cuidar melhor do meio ambiente (impressa dos dois lados da folha!) em cima da cama. Além disso havia um recado com letras garrafais: Faça sua parte!


Pauta para a Capricho: heroína do verde :)

quinta-feira, 7 de maio de 2009

pra ser feliz


Os motivos estão ali todos espalhados na mesa, é só escolher uma carta e pronto: as lágrimas secam, a olheira sai, a vida muda. O problema é que não sei ainda se quero jogar.
Por enquanto ainda olho de fora e vejo a pilha de cartas aumentarem. Mas eu sei que vai chegar uma hora que vão me pedir pra entrar na dança, e eu não vou poder recusar.
Mas sabe quando você ainda tem a esperança de dar empate?
Ai sim. Se me oferecessem uma nova rodada, com pontos zerados, alma limpa e risada sincera eu não pensaria duas vezes na hora de aceitar.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Horário não freia erros.

Bate o sinal. Já são onze horas. Pais respiram aliviados, seus filhos adolescentes estão em casa livres de qualquer mal. Os mostros da noite não irão mais assustá-los, e na manhã seguinte eles acordarão bem humorados e dispostos pra frequentar a escola, certo?
Errado. Parabéns justiça, parabéns Brasil, vocês não sabem nada da juventude. Sobrou autoridade, e faltou respeito no toque de recolher.
É fácil juntar hormônios pulsantes, dividi-los por idade, e ditar regras. É fácil pensar que o perigo está apenas no escuro da madrugada. É fácil mostrar estatísticas e afirmar o quanto a medida é proveitosa. Dificil é ser adolescente e ser generalizado sem direito de resposta.
Horário não é freio para erros. Se alguém quiser fazer algo de errado, vai ser aqui e agora, na luz do sol, com todo mundo vendo.
Reprimir o futuro do país, e pedir para eles desligarem o som e irem pra casa quando o sinal bater, é uma atitude ingênua demais pro mundo atual - aquele da crise financeira, do aquecimento global, e da internet sabe? - A galera de hoje chega em casa, fica no computador e comete erros tão ou mais grosseiros do que cometeria ao vivo.
Pais, não entreguem a terceiros a educação de seus filhos. Não sejam inocentes a pensar que só porque irão durmir cedo eles serão melhores alunos, ou terão melhor carater. Não se enganem tão fácil.
Uma boa conversa ainda é a solução. E ela pode ensinar a dormir cedo quando deve ou a curtir a noite com responsabilidade.



PAUTA PRA REVISTA: Esse "toque de recolher" é legal? Vai proteger os jovens de se meterem em enrascada? Ou baixou a ditadura geral e isso é algo que está além da decisão dos governos? Enfim, como vocês receberam essa notícia?

____________________________________________________________________


LIMITES

Adoro promoção, calças, bolsas, sapatos. Meus olhos brilham quando as roupas tem aquela etiqueta vermelha que indica desconto, e meu sabádo a tarde sempre fica mais animadinho com uma ida ao shopping.
Mas desde que me conheço por gente meu pai ensinou a mim, e aos meus irmãos uma lição importantissima: só gastem o que possam pagar. Nada de se individar em cartões de créditos ou emprestar dinheiro pra comprar superfulos.
Nunca ouve controle total de dinheiro, sempre tive liberdade pra aplicar minha mesada onde eu bem entendesse, mas aprendi a ter limites desde de cedo.
Por isso, comprar o necessário e guardar uma graninha pra queima de estoques é a minha tática. E lógico, também não dar bola quando aquela blusinha carissima pisca pra mim.


pauta para o site: Consumismo desenfreado. É totalmente normal, afinal todo mundo precisa de um momento Becky Bloom? Quem nem se importa com isso e passa adiante na frente de qualquer vitrininha?

terça-feira, 28 de abril de 2009

Uma cota a mais de luz.


Minha melhor amiga é linda, simpática, inteligente e eu sou completamente apaixonada por ela. Até porque ela é minha prima também, e essas coisas vem de familia né?
Mas com brincadeirinhas a parte, não é isso que a faz ser perfeita. Na verdade são as atitudes que ela tem que a deixam assim. Ela não precisa fingir, ela simplesmente é.
Tem gente que ganha uma cota de luz a mais dos céus, e nós continuamos com a nossa. Há quem se encante por uma, há quem prefira a outra. A inveja faz sua luz apagar e não a dela.
Eu amo a minha Gabriela, e não pelo seu cabelo lindo e sim pelo sorriso que ela dá quando me encontra. Ela me enche de orgulho quando se destaca e ganha aplausos, mas me enche de orgulho mais ainda quando vence os problemas com força de gente grande.
Se a amizade é de verdade a amiga perfeita não vai encomodar. Porque você sabe que por trás daquela boneca, existe alguém de carne e osso, que fica com os dentes sujos depois de tomar açaí, e que vive cheia de roxos nas pernas por ser desastrada. Afinal a menina perfeita também sofre, toma foras, e quer entrar num buraco nos dias de tpm.


A amiga linda, rica, bem nascida, divertida, que chama (porque quer) a atenção de todos, pode ser infeliz quando está no quarto sozinha. Pode não saber o que dizer quando alguém precisa de ajuda. Pode ser um nada por trás da maquiagem. A diferença está em quanto conhecemos aquele alguém e quanto sabemos se aquele brilho é de verdade. E aí está a admiração ao invés da raivinha.




Pauta pro site: E quando ela é perfeita?
Sabem aquela amiga linda, inteligente, divertida, bem nascida (rykah!), simpática e que todo mundo baba por ela? Poisé. Como é conviver com alguém assim? Dá invejinha? Raiva de vez em quando? Orgulho? Inspiração para ser igual? Ou é indiferente pois afinal ela não é melhor que você?

segunda-feira, 27 de abril de 2009

De tudo um poquinho


Ahá! Milhões de coisas na minha super-vidinha.

Li um texto na minha aula de gramática na semana passado e o resultado dele vem se aplicando tão bem a mim e ao meu sorriso, que percebi que valeu realmente a pena aquele papelzinho chegar na minha mão.
Aprendi que só carregamos aquilo que não é nosso se dermos permissão pra isso. A raiva, o amor, a ignorancia e todos os outros sentimentos alheios só são depositados em nós se estivermos abertos a carregar essa carga. Se não, a conteúdo continua com o remetente.
Saber o que queremos pra nós, se abrir pra uma coisa, e se fechar pra outra é um treino, e é difícil (e como!) entrar nesse ritmo de sabedoria. Mas se você fizer a lição de casa, de repente você começa a distinguir uma coisa da outra tão facilmente e entra de vez no fluxo na sua vida. E essa paz não há dinheiro nenhum que pague.
Amo minha vida roda-gigante e estar no alto é realmente um barato! Pena que mesmo lá de cima eu continuo com a pilha de fichamentos pra fazer, trabalho pra entregar e um livro [que não chega nunca] pra ler! Ainda bem que essa semana tem um feriado bacanérrimo, e eu não vejo a hora de chegar sexta-feira.
As coisas vão caminhando, já já é maio e esse mês realmente me dá borboletas na barriga. Tem aniversário da melhor amiga, aniversário do namorado, e um ano de namoro... ou seja várias surpresas a serem organizadas e uma cabeça com o botão da criatividade desligado!


quinta-feira, 16 de abril de 2009

PASSADO E FUTURO :)

OLHANDO PELO RETROVISOR.

Acho que em 18 anos de histórias, se pudesse eu voltaria pros bolinhos de chuva da minha vó, pros churrascos do terceiro colegial, pras baladas com a minha prima até de madrugada.
Me faria transparente pra alguns, me esconderia mais pra outros, pensaria antes de fazer as pessoas sofrerem por mim, e me calaria na hora do nervoso explosivo.
Diria 'I love you' pro Mickey quando eu o encontrei, tiraria mais fotos com meus amigos Coreanos, aproveitaria mais tempo antes que a porta se abrisse pras pessoas que amo irem embora.
Iria de encontro com dias inesquecíveis, com as surpresas do meu aniversário, com o carro de som na frente da escola, e com os Natais cheios de primos, Barbie's e skates.
Teria comprado aquela jaqueta e não essa, teria bebido água ao invés de vodka, teria pedido desculpas ao invés de acusar. Colocaria um lacre nas páginas pretas da minha vida, trancaria os erros num baú e guardaria a chave só comigo.
Na verdade no meio de todas essas vontades, o que mais queria se pudesse voltar no tempo era levar um bloquinho, uma máquina fotográfica e uma caixinha, pra anotar as lembranças, encher minha memória de fotos, e guardar de cada pessoa que passou por mim uma recordação, porque afinal passado é passado, só serve para lembrar.


Pauta para revista: O que você faria se pudesse voltar ao passado?

___________________________________________________________________

UMA SENHORA E TANTO!


Dificil imaginar o que espero ter realizado ao longo desses 12 anos que me separam dos 30, mas pode anotar aí, que dia 17 de agosto de 2020, quando minhas primaveras chegarem vai estar todo mundo convidado pra uma festa de arromba.
Afinal espero que minha pele esteja linda e esticadinha e meu bumbum no seu devido lugar. Além disso pretendo ter riscado há algum tempo o item 'me formar' da minha lista de objetivos. E sendo uma jornalista competente quero formar opiniões corretas e não me corromper nos veículos de comunicação. (deixem-me sonhar!)
Talvez eu tenha casado e tenha até um baby que erde os ossos largos da mamãe (meu lado romântico fala mais alto gente!). E vai ser deles as milhões de fotos preto e branco que estamparão as paredes do meu apartamento.
Espero ter juntado uma graninha suficiente pra dar de presente uma viagem pros meus pais, seja pra onde for, mas onde eu possa pagar todos os charminhos que eles desejarem.
Quanto as marcas de expressão e a crise da meia idade, vou driblá-las numa delicadeza invejante e inovadora e chutá-las diretamente para a China (sim, eu tenho um carinho especial pela China!). Já os problemas do dia-a-dia vão ser resolvidos no meu método atual: uma respiração funda e uma boa noite de sono pra colocar as coisas no lugar.
Enfim, o que anseio com mais garra para os meus trintinhas é que a palavra SUCESSO comece a ganhar corpo e seja escrita cada vez mais grossa na frente de Daniela.

Pauta para o site: O que você faria se acordasse e já estivesse com 30 anos? Como vocês se veem? Como acham que vão estar? Qual a pior parte de, enfim, crescer e chegar na fase da vida onde muita gente espera tanto de você?

quarta-feira, 15 de abril de 2009

sobre coelhos, parafusos e ondas.


A vida muda de repente né? No final de semana passado tudo estava tão calminho, ou quase, mas sempre naquela oscilação leve, que ia e voltava num instante. Aí chega o coelho e seus embrulhos laminados e muda tudo.
Deixa corações ásperos e outros docinhos, dá vontade de comer chocolate naqueles que não gostam e conta pras estrelas que aquelas vidas precisam de mudança.
"É talvez a missão alheia é maior do que se pensa."
Bate leite condensado, creme de leite, vodka e danete. Bate e revira. Talvez seja a bebida que fez alguns parafusos ficarem soltinhos, não é? Não, eles sempre estiveram ali prontos pra cair de vez no mundo. Parafusos falantes ainda.
Cai de um, cai de outro, vira um emaranhado de opiniões e argumentos. Uma água seria ideal pra fazer a temperatura baixar, mas cadê ela?
Ninguém está muito interessado em esfriar o ambiente, então desliga aí o videogame e vamos dormir.
Deita, sonha, pensa e revisa. O coelho sabe que aquela rodinha de pessoas terão um domingo de Páscoa longo pelo frente. Dado a ordem de superiores o dia amanhece e trás junto bocas abertas de sono, e outras de indignação.
O caminho para o mar[ou rio] devia ser um barato, mas um cutuca e outro cutuca em dobro, pra que? Ordem das estrelas! (COELHO FOFOQUEIRO!)
Ventinho pra esfriar a cabeça, um churrascobomchimarrão, Corinthians 2x1 SP, e o domingo anoitece com uma conversa que recoloca os adjetivos onde eles deveriam estar.
Os mosquitos ficam só ali escutando, e deveriam colocar em prática também a remexida do coelho, e poupar choros convulsivos.
Talvez uns sinais de fumaça avisem que está na hora da inversão da ordem.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Tudo passa!



Há dois tipos de passado: o perfeito e o imperfeito. Um mostra que "valeu, foi bom, adeus!", já o outro prefere "tentei esquecer, mas é inútil porque ainda te amo".
Entre amei ou amava, está a chave do relacionamento com ex namorado. Pra quem já superou fica mais fácil olhar longe aqueles olhos que já estiveram bem pertinhos dos seus, mas pra aqueles amores mal resolvidos onde o passado ainda é imperfeito o melhor seria se o ex fosse fazer uma viagem só de ida para a China.
Existem amores inesquecíveis e não insubstituíveis. Aquele pode ter sido o melhor, mas depois dele haverão outros, até o quebra-cabeça de ambos formar o 'pra-sempre'.
Não há formula, a única dica (clichê insuportável) é esperar o tempo. Aos poucos a gente acostuma a dormir sem aquele cheirinho, sem o boa noite, sem as brigas de ciúmes e o coração começa a aprender que a vida é um vai e vem sem razão.
Uma hora o friozinho na barriga e a sensação estranha dos primeiros encontros pós-namoro passa (pode acreditar que passa!) e logo aparece outro alguém que faz o coração ficar docinho de novo.
O mundo gira e coloca tudo no lugar! Quando você menos espera ele voltou da China e você já está pronta pra encontrá-lo e conjugar o tempo verbal certo.



Pauta para o site: Ex bom é ex morto(a)!!! Como se livrar de um(a) ex??? Alguém aí já passou por isso? Tem algum segredo mirabolante? Vale o mesmo para o ex mala e para o ex perfeito mas que vc não conseguia esquecer? Enfim, como fazer para seguir em frente e deixar o passado mortinho da silva xavier para trás?





segunda-feira, 6 de abril de 2009

Aldevar, Aldevar, tão bonitinho!

Nunca se deve estancar um sorriso quando ele aparece, ainda mais se ele é fruto de uma noite de segunda feira e a o cansaço da faculdade está personificado em uma dor de cabeça latejante.
Não é todo dia que se chega em casa, e encontra uma vara de pescar em cima da sua cama, junto com um boné e um ovo de páscoa, tudo novinho, e dado com carinho de pai.
O bilhete faltou, mas subentendido no meio das tralhas estava "Estou feliz por você seguir o meu hobbie" e essa aproximação dinheiro nenhum paga.
Mexendo nos presentes recém ganhos, a porta do quarto é aberta aos poquinhos e uma carinha toda orgulhosa aparece... "Experimentou o boné?"
É pai, ainda não, mas final de semana está ai pra nós estrearmos meus embrulhos!

Meu pai é fodástico, e eu sempre falo isso pra ele.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Respeito, respeitar, respeitado.




Com certeza o tempo do brilhantismo de mestre-aprendiz já era. A relação professor-aluno começou a ser mais nivelada, até porque é muito bom ter um professor que é da galera, frequenta churrasco e tem conversas interessantes pós aula.
Mas nessa liberdade toda que começa o desrespeito dentro da classe. A geração de hoje (que é a minha!) esquece que ali quem manda é o professor, e mesmo que ele seja péssimo, em primeira instância é ele que vai estar certo.
É como se fosse o seu chefe. Você ousaria bater boca com ele? Mas com professor a gente ousa, e esquece que o sujeito ali na frente da lousa está acima de nós na hierarquia escolar.
Eu já tive vários problemas com professores. Já estive certa, e já estive errada. Mas eu aprendi que pra ganhar o respeito, eu preciso também respeitar. Se estou ofendida, não adianta nada eu ir apontando o dedo na cara do professor e aumentando o volume da voz, porque isso só contribui pra eu perder a razão.
Os casos são de monte, e cada história é uma história. Mas na hora de sair levantando da carteira e ir logo enchendo a boca de argumentos, pense antes.
Muitas vezes há outras formas de provar que está certo. E se não está, abaixe a cabeça e peça desculpas pro seu chefe, como eu fiz.



NA FOTO: MAU MAU (ou Miau OIHAO), meu amado professor de física!
Pena que era de física..



Pauta para a revista: Mais respeito aos professores? O que vocês acham? A juventude está perdendo os limites hoje em dia? Não há mais respeito nas relações desse tipo? Os professores, por sua vez, têm culpa nisso tudo? Eles abusam do poder e acabam atraindo esse tipo de comportamento?

terça-feira, 31 de março de 2009

Herói gordinho e sem máscara :)

Olhem pra esse ogrinho, ele não tem máscara, não usa roupas coladas e nem tampouco possui super poderes. Voar também é impossível devido suas condições físicas.
Herói não precisa ter esses atributos pra dar bons exemplos a alguém, essas características lúdicas são apenas pra ressaltar a força do personagem, que muitas vezes tem por trás humanos fracos e traumatizados.
O Shrek não. Ele não precisa disso. Ele salvou a princesa do quarto mais alto da torre mais alta com a cara limpa, sendo ele mesmo. E ainda deu uma lição de moral pra aqueles que acham que beleza física importa mais do que o coração sente.
Esse gordinho sexy representa a transição de principes encantados idealizados e irreais que chegam de cavalo branco, pra amores de verdade cheios de defeitos que te buscam a pé.
A quebra desses pré conceitos e o despertar da Fiona para o seu verdadeiro eu é o que fazem meus olhos brilharem. E toda dia que eu viro pra durmir e encontro o bonequinho dele do lado da minha cama eu penso: "Se alguém escolheu se casar com ele mesmo tendo um loiro de olhos azuis em sua mão é porque há algo muito bom escondido por trás de suas gordurinhas verdes."

Um salve para o Ogrinho e seu carisma apaixonante!


TDB, PAUTA PRO SITE: Obama? Robert Pattinson? O Papa Bento? Bart Simpson? Quem é seu heroi? E por quê? Eles existem?

sábado, 28 de março de 2009

O milagre que esperei nunca me aconteceu.


Não se pode viver de sonhos? Ou pode?
Pode ficar sonhando com a vida cor-de-rosa?
Nesses dezoito anos de rugas aprendi que até pode... mas na hora que você se vê coberta com o edredon até a cabeça e com os olhos inchados percebe que ter um pézinho na realidade faz bem.
Você nunca sabe o dia que vai ter que enfrentar. Pode saber que tem trabalho de introdução ao jornalismo e que precisa comprar uns livros pra faculdade, mas nunca sabe quando vai ter que passar por um ladrão de paciência. E eles são os piores! Comem uma fatia gorda e recheada do seu bolo de paciência e te deixa tremendo e com medo. Ai embaralha tudo. O trabalho tem que esperar, os livros também, porque você precisa ir pra cozinha tomar uma água com açúcar e fazer outro bolo.

Por isso que pra mim felicidade absoluta não existe, ela é mais uma daquelas mentirinhas que a sociedade conta pra você. E quanto aos sonhos deve-se tê-los de monte, mas tirá-los do mundo das sombras é essencial para começar a realizá-los. A base de tudo precisa ser real, senão fica fácil ser confundido com aquele que busca o pote de ouro do arco-iris e nunca sai do lugar.

Nos livros de auto-ajuda que abarrotam as prateleiras das livrarias não fala que o ser humano, é tão, tão, humano demais, pra alcançar sentimentos tão complexos. Ao invés de bolarem "150 passos pra buscar a felicidade" ou "Pense positivo e consiga" seria mais fácil incentivarem o encontro do nosso ponto de equilibrio, pra assim satisfazermos nossas necessidades de corpo e alma e nos mantermos ativos na cama elástica, se moldando conforme a vida pede. E claro, tudo isso no mundo das idéias.

E Deus existe! Eu sou uma recorrente de seus poderes! E pra mim ele tem a cara do meu avô, faz cafuné pra eu dormir, mas logo quando acordo me manda pra luta!
Queria que ele me desse um algodão doce bem grande, felpudo e sussurrasse no meu ouvido que eu posso viver de sonhos, mas ele prefiriu me ensinar a pescar. Brincalhão né?

Enfim, no meio desses nós doidos consigo ver que as lágrimas doem mas fazem parte da pescaria e que cor-de-rosa é muito enjoativa pra pintar o dia-a-dia.
Já os ladrões de paciência são necessários, e penso até que seja Deus que coloque-os no nosso caminho, porque assim somos obrigados a sempre reinventar as receitas do bolo. E é na cozinha esperando ele assar que a gente começa a pensar na vida e vê não é só a felicidade que é tão complexa assim...

terça-feira, 24 de março de 2009

Chocolate, namorado e cores.


Não é todo mundo que tem a minha sorte. Lógico que eu não passei longe da fila daquelas que tem TPM. Eu tenho e sofro com isso. Minhas lágrimas e meu nervoso adoram brincar de montanha-russa e meu rosto de se enfeitar com espinhas vermelhas.
Mas eu tenho um namorado fofo que faz carinho pra cólica passar e compra um milk shake com cobertura extra pra mim. (Tá, deve ser pra mim parar de reclamar de tudo! haha) Mas me diz, a irritação não compensa?
Eu acabei driblando esses dias e colorindo-os um poquinho. Eu ainda me olho no espelho e fico me perguntando o que aconteceu comigo, e também reclamo que a calça jeans não entra porque eu to inchada, mas eu me permito devorar um pacotinho de chocolate de soja sozinha e tomar uma coca bem gelada.
Até a bendita TPM se encolhe quando a gente olha pelo lado bom. E eu ainda tenho atenção dobrada do meu pretinho nesses dias vermelhos.
Pauta pro TDB :)


Sai com a cara pra lá!

É um pouco dificil saber o quanto os irmãos são importantes pra nós, ainda mais os meus, já que vivemos entre tapas e beijos, mas na hora que a gente para pra pensar vê que sem eles a gente se sente sozinho no mundo.
Não que filho único seja sozinho, eles se apoiam em outras bases, mas nunca irão saber o que é ver seu irmão mais velho jogar um pedaço de torta de frango nas costas da sua irmã.
Eu tenho uma loira farmaceutica e um clone engenheiro comigo. Uma tá perto pra me por no colo quando eu choro, e outro tá longe mas presente todos os dias no soninho depois do almoço (mas quem sabe vai ficar pertinho de novo!) e eu A-M-O ser a caçula mimada dos dois!
Enfim, por mas que você arranque a tecla do computador dos seus irmãos, bata o telefone na cara, seja um tanto grossinho de vez em quanto, vão ser eles que estaram lá pra te levantar mais pra frente. Ninguém sabe quanto a vida acaba, mas pelo a ordem 'natural' das coisas, vão ser eles que no futuro te farão lembrar da sua familia no passado.
E quando chegar a hora de sentarmos numa mesa de bingo para contar nossas histórias espero que seja igualzinho ontem na hora da foto:
DANIELA VOCÊ ESTÁ PESADA.
O MARCELO MEU, FAZ CARA DIREITO.
AAAAH DESGRUDA VOCÊS DUAS.

Um ótimo final de semana, o melhor de março.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Planos, peças, piegas

Meu coração doeu agora que até eu me surpreendi, tá um sufoco, uma correria...e mais uma ultima palavra: um tumulto.
Eu mesma ainda não sei quem eu sou. O coração fica docinho de ver certas coisas, mas parece pedra em outras situações. É como viver na corda bamba.
Não é tão fácil quanto eu esperava que fosse seguir com o lápis os pontilhados desse ano. Me sobrecarreguei? Ou estou deixando o tempo me driblar? Ainda não sei.
Só sei que virei mais amiga ainda do meu sono depois do almoço. SEM ELE NÃO SOU NADA. NÃO PRODUZO NADA. Mas logo logo terei que dizer adeus a ele, aliás, uma jornalista não tem tempo a perder (oléh), as notícias estão aí e apurar os fatos não é uma tarefa muito simples. OAIHAOIHAOAHOIAHOAA :)

As vezes fico pensando se a vida dá mesmo sinais pra gente. A unesp mudar o formato bem esse ano foi uma peça bem pregada em mim. Talvez pro bem, talvez pro mal.
O bem porque ficou dificil pra todo mundo, e que estar vendo "de fora" pode ajudar. E de mal porque cair fora desse meio e se jogar numa faculdade te deixa realmente alienada sobre as dificuldades do vestibular.
Mas como tudo tem que terminar com um balanço geral, vamos dizer que tá tudo caminhando! Braços aninhados em abraços gostosos e quentinhos depois da aula com direito a mini pizza de brinde, e uma conversa com meu pai até de madrugadinha que realmente valeu e pena!

Será que isso é crescer?

quinta-feira, 19 de março de 2009

Rei Sol e sua idéia revolucionária.

Hoje eu recebo aqui o estilista Rei Sol, um homem que revolucionou os conceitos de moda e fez o famoso 'bumbum de casca de laranja' virar têndencia esse ano.

Daniela - Nossa! O senhor está em todos os setores da mídia, como o senhor se sente de aliviar o peso na consciência da mulheres trazendo para o moda os famosos 'furinhos'?
R.S - Sempre batalhei por isso. Defendi em toda a minha carreira a beleza original da mulher. Os furinhos no bumbum são charmosos, e todo homem gosta! Pele lisinha não está com nada.

D. - Há muitas modelos por aí que estão se matando para conseguir mudar a aparência de seus bumbuns lisos e sem graça. Caso consigam, esse fato não é irreversivel?
RS: Torço para que elas consigam e que esse fato seja mesmo irreversivel! Espero que essa tendência se tranforme em um conceito, assim ninguém mais precisará mais se sentir culpada com o seu corpo. E muitas meninas lindas deixaram de fazer loucuras para seguirem padrões.

D. - E quanto aos cremes anticelulite e os tratamentos importados?
R.S. - Nesse momento estou respondendo há mais de 60 processos de clinicas de estética e creio que ainda virá muito mais por aí. Mas eu não ligo. O que se contrapõe a isso são as cartas que recebo de muitas mulheres que antes tinham vergonha de desfilarem de biquinina frente de seus maridos e hoje estão comprando modelos fio-dental.

D. - Pra terminar, nos conte sobre sua nova coleção, e sobre suas modelos.
R.S. - Minha coleção se baseia na beleza da mulher brasileira e na originalidade que cada um trás em seu corpo, faço um apelo aos 'furinhos' e a permanência deles nos bumbuns femininos, por isso misturei texturas e exagerei nas cavas dos biquinis.
Bom, sobre as minhas modelos, se o visual delas me atrai, chamo-as para trabalharem comigo, não importa o estereótipo.

Rei Sol ganhou esse apelido das suas colegas da faculdade, e naquela época ele já propagava sua idéia revolucionária. Elas diziam que ele aindaia ser o sol depois da tempestade de muitas mulheres, e pelo visto acertaram.


Pauta pra revista :)

terça-feira, 17 de março de 2009

Mosaico de cópias.


Cópia pra mim é um assunto sem fim, igual a pobreza, a desigualdade social ou aqueles outros clichês de discussão.
Não adianta, todo mundo copia. Minha mãe sempre disse 'Onde vemos as coisas bonitas? Nos outros!'.
Ser original não é ser único. Provavelmente existe mais gente no mundo que gosta de ouvir Jack Johnson comendo um pacote de bolacha Passatempo.
Mas isso não quer dizer que você precisa sair por aí copiando e colando atitudes na sua personalidade e se tornando sombra das pessoas que você admira. O brilho dela nunca vai ser o mesmo em você.
Somos sim uma colcha de retalhos, e cada um costura de um jeito os pedacinhos de tecido. E até os objetos materiais produzidos em massa tomam proporções incrivelmente originais em cada um. O seu loiro acinzentado não tem o mesmo tom do cabelo da vizinha e sua blusa preferida não cai tão bem na sua melhor amiga.
Podemos nascer de ficha limpa, mas quando abrimos os olhos vemos que o mundo já está pronto, cheio de atitudes, estilos e idéias e saída está na sutileza de pegar a agulha e formar o seu mosaico de cópias. E esse monte de listras, cetins e florais quando montadas do seu jeito, tornam-se um tecido singular e pronto para se tornar retalho de outro alguém.


Pauta para o tudo de blog: "Todos nascemos originais e morremos cópias." Afinal, copiamos uns aos outros o tempo inteiro. Queremos fazer parte de um grupo? Temos medo de ser diferentes? E quando é o contrário, e alguém tenta copiar tudo o que somos e gostamos?

terça-feira, 10 de março de 2009

Mais, mais, mais


Queria fotografar tudo o que meus olhos vem e fazer um album no fim do dia, queria captar as expressões e guardar todos os cheiros em frascos de perfume, queria ter uma memória de elefante pra decorar as datas de aniversário dos meus amigos, queria saber mais de politica, entender mais o mundo, ajudar mais pessoas e acrescentar mais para o meu eu.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Paredes de vidro.


E a Madonna está certissima! Assim como todos outros atores/cantores por aí que mantem o suspense nos seus relacionamentos. As Xuxas, os Gianecchinis, as Cicarellis vivem sob paredes de vidro, onde tudo o que fazem vira notícia. Beijos viram pedidos de casamento e um simples terminío já vira traição. E nós, fãs curiosos e obcecados somos incapazes de enxergar o humano por trás dessas personalidades.
Trazendo pra uma realidade mais perto de nós podemos observar os intervalos dos colégios e das faculdades por aí, quando alguém aparece de namorado novo já rola aquela fofoca, e se é interessante sabermos mais, caimos de boca nos orkut's de ambos para descobrir detalhes da relação.
Muitas vezes tornar um relacionamento complicado público atrapalha. Por isso que precisa haver uma base sólida para que isso aconteça, e cada um tem seu tempo pra avaliar o romance e saber se é de verdade, pra depois sair de mãos dadas na rua ou assumindo pra imprensa.
Então vamos deixar a Madonna esticar lençois nas paredes de vidro e aproveitar o Jesus roubado do presépio em paz.