quarta-feira, 20 de julho de 2011

Sequência do pente

Sábios são os Hawaianos, com seu lindo e complexo refrão "Traição é traição, romance é romance, amor é amor e um lance é um lance". Afinal, as coisas são assim mesmo, sem muita explicação. São e pronto.
Mas se no funk as tchutchucas manhosas e os gatinhos sarados rebolam até o chão, cantam em coro e curtem essa simplicidade toda, a história é bem outra quanto a a cara bate no muro e o que era embaçado se torna nítido.

Dá-lhe a semiótica e então, destruir a figura de algo que já se tornou um ícone/símbolo é mais difícil do que se parece na teoria. Não que não se faça diante de verdades que estão escacaradas. Mas escolha de desmistificar alguém é sempre dolorida. Seja lá do que estamos falando.

Máscaras só servem mesmo no carnaval ou na capa 4 das revistas infantis que eu trabalho. E o mesmo acontece com os cenários, bem-vindos apenas em teatrinhos ou ilustrações. Vida real é pra gente forte e aí mermão, nem o funk ajuda.

3 comentários:

Debbys disse...

semiótica me lembrou a faculdade. hehehe.. muito bom o post.. xD

bjss

Patrícia ♥ disse...

Tem selinho pra vc no meu Blog (:

Beijoos!!

http://pathyoliver.blogspot.com/2011/08/600-seguidores.html

Nati disse...

Essa é a realidade nua e crua da vida e temos que encará-la dignamente. Beijo