sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sobre saudade e surpresas

Quanto tempo! E que saudade que estou daqui, muitas saudades, absurdas saudades.


As coisas estão caminhando tão bem e tão corridas ao mesmo tempo. Mas afinal, como sempre digo, esse tipo de correria é o que move, o que faz crescer, evoluir. E foi em uma dessas correrias que aconteceu uma coisa muito bacana.

Comunicação educativa nunca foi meu forte, mas eu conseguia enxergar de algum ângulo que era sim, uma matéria necessária. O difícil era encontrar toda segunda-feira o tal do ângulo e ir aberta à faculdade para assistir aos aulas. Os assuntos me entediam fácil e eu me distraia mais fácil ainda. De repente, ao invés de estar anotando conceitos, eu estava lendo, desenhando, jogando no celular ou fazendo qualquer outra coisa do tipo.
Mas eu já sabia, desde o começo do semestre, que precisaríamos fazer um trabalho de conclusão da matéria. Na verdade, um projeto. Ensinar a alunos de terceiro colegial sobre comunicação. A-ha-m. 
Me veio um milhão de pensamentos na cabeça: eles não vão se interessar, não vão interagir, não vão respeitar e daí em diante. Mas como trabalho é trabalho, montamos o projeto, arrumamos os materiais e fomos.
A partir do momento que entrei na sala de aula, muita coisa mudou pra mim. Ver aqueles alunos interessados, perguntando, debatendo, me marcou. Me arrependi de todos os pré conceitos que tive até ali.
Simulamos uma reunião de pauta e acredito que ali estavam cabeças muito mais interessadas do que próprios alunos da faculdade de jornalismo. Cada argumento pertinente e inteligente sobre o que expomos era uma vitória. Foi ótimo, excelente, sensacional.

Saímos de lá não apenas com sensação de missão cumprida, mas com a ideia de que precisamos fazer mais. Adolescentes precisam entender a mídia de uma maneira crítica e nós, universitários, cheios de ideias frescas na cabeça, temos o dever de cumprir esse papel. 

Como sempre diz minha mãe, é nosso humor e atitude que deixam os lugares agradáveis. E não o contrário. 
Esse jornalismo me prega cada peça, e eu adoro cada vez mais.

6 comentários:

Debbys disse...

saudades daqui tbm!!!
Pois é, a gente se surpreende mesmo com faculdade.. Uma coisa que não me passava pela cabeça gostar era tipografia, e eu simplesmente já estou com meu próprio alfabeto em andamento... kakakaka..
e é legal quando fazemos projetos voltados para a comunidade, né?
bjinhusss

Juliana disse...

pois é Dani, pré conceitos nos enganam, ainda bem que vc foi e fez e ainda por cima se surpreendeu! valeu todo esforço né?
me orgulho de vc!
te amo!

Vanessa disse...

Que interessante :)
O bom da faculdade são as surpresas que ela nós prorpociona.

HPrint disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Oiii Dani, acompanho teu blog faz algum tempo (e gosto muito)! Terminei o ensino médio ano passado e logo pensei em fazer jornalismo, não deixo de pensar na idéia apenas por ouvir tantas coisas negativas a respeito do curso, certamente de gente que nem ao menos sabe do que fala, mas não posso negar que as vezes bate duvida... Enfim, vc poderia postar mais textos a respeito do curso, não sei ao certo o que, e talvez tb isso n seja de seu interresse, é apenas uma sugestão. Ah e não some!!

um abraço Camila.

Ana Martins disse...

Que experiência legal. Uma vez na faucldade, nos fomos dar paletras para alunos do primári sobre gripe suina. Foi muuuito legal. Aquele miniaturas de gente perguntando, participando. Foi muuuito proveitoso.
Beijos